quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Acácio

Vejo-te toda noite
Acácio querido,
Sonho com teus beijos molhando-me os lábios
Busca incessante da realidade de açoite
Pois vieste a mim como pássaro ferido
Te acolhi,dei-te amor,paixão.
Sentimentos (para mim)sagrados,sábios...
Sofro por teres me rejeitado
Por isso te busco na minha solidão
De madrugada ouço os teus murmúrios
Como de um hino cantado,ensaiado.
Luto por esquecer-te:não adianta!
Tu me apareces por detrás das janelas ,dos muros...
Quando percebo já tenho-te ao meu lado
Tua boca carnuda e vermelha
escondendo a minha.Insignificância.
Aí pronto! Fato consumado!
Brilho efervescente da estrela .
Já não quero ter mais insônia,ânsia
quero tê-lo,somente isso.
E se um dia quiseres encontrar-me
estarei aqui,porque nunca saíste de mim.
Sempre fizera-me reboliço.

2 comentários:

nadypaixao disse...

Um amor não correspondido, ás vezes torna as pessoas em eternos sonhadores, acreditando sempre que um dia vai viver esse lindo amor, e o espera ingenuamente a cada instante. Amei...beijos

Évelim Paixão disse...

aiai isso é apenas poesia...e talvez um fiasco de vida!